quarta-feira, 4 de maio de 2011

Auto-sugestão

O que é a auto-sugestão?
  

A auto-sugestão é um método que permite ao indivíduo concentrar-se intensamente num objectivo que pretende alcançar.

Existem vários métodos de auto-sugestão utilizados com objectivos médicos para permitir ao paciente a sua participação activa no processo de cura física ou psíquica.

O princípio da auto-sugestão é muito simples: o paciente consciencializa-se de conter em si próprio a força para curar uma doença e readquirir saúde.
Durante a fase de aprendizagem, que pode ser mais ou menos longa, o indivíduo vai adquirindo progressivamente esta convicção, até que esta passa a agir a um nível inconsciente. Então melhora o humor, desaparecem as depressões e o doente readquire o gosto pela vida.

Do mesmo modo, a preparação psicológica do praticante desportivo de nível profissional baseia-se nos métodos da auto-sugestão.



Como funciona a auto-sugestão?


Através da auto-sugestão o paciente aprende a utilizar técnicas que não conhecia antes ou que não estava em condições de aplicar devido a uma doença. Geralmente, o doente aprende a apresentar-se em aparente boa saúde, transbordando alegria de viver.

Na realidade, estas técnicas nada mais fazem do que confirmar o que diz a sabedoria popular, ou seja que uma pessoa com uma atitude positiva cura-se mais rápida e duradouramente do que quem se deixa desencorajar.


Uma convicção razoável

É muito importante que o paciente engendre uma convicção nova e razoável.

Não tem qualquer sentido utilizar a auto-sugestão para se convencer de coisas totalmente estranhas à realidade, já que a razão exerce sempre o seu controlo sobre os nossos convencimentos. Também, não se pode transformar um ser mediamente dotado num génio unicamente com a auto-sugestão, como certos filmes ou romances gostariam de nos fazer acreditar!




Como se pratica a auto-sugestão?


Para que a auto-sugestão seja eficaz, é necessária uma grande disponibilidade por parte do paciente, que deve estar pronto a dominar o próprio destino e agir para obter a cura. É por este motivo que os candidatos à aprendizagem da auto-sugestão são, em primeiro lugar, submetidos a um exame psicológico para avaliar a força real da sua motivação. Depois deste exame definem-se os objectivos que se devem alcançar. Podem estabelecer-se algumas etapas intermédias ou detectar directamente o objectivo final.


Sob a direcção de um especialista, o paciente aprende a aproximar-se mentalmente deste objectivo utilizando as próprias faculdades imaginárias. No mais simples dos casos, o indivíduo visualiza-se a si próprio numa determinada situação em que actua como ser humano em boa saúde, sem nenhuma restrição.



Muitas vezes escolhem-se situações que representam as aspirações mais profundas do paciente, por exemplo um rendimento desportivo.

Uma vez que o paciente aprendeu a projectar-se nestas representações, deve fazê-lo regularmente e o mais frequentemente possível. Imaginando-se em boa saúde, ele orienta nesta direcção não só o inconsciente, mas também a sua vontade.



Onde nos podemos dirigir para praticar a auto-sugestão?


Em regra, a auto-sugestão deve ser praticada somente sob orientação de um psicólogo experiente ou de um psiquiatra, dado que esta técnica requer conhecimentos práticos específicos em psicologia e psicoterapia, para além de uma boa dose de intuição.

Muitas formas de psicoterapia e as técnicas de relaxamento, como o training autogéneo, contêm elementos de auto-sugestão.

A medicina desportiva oferece um vasto campo de aplicação à aprendizagem da auto-sugestão.

É claro que, nas doenças crónicas e nos doentes terminais, a auto-sugestão deve actuar em sinergia com as terapêuticas médicas clássicas.


Deve-se ter paciência

Para aprender a auto-sugestão, são indispensáveis muita paciência e perseverança. São necessárias efectivamente pelo menos algumas semanas, mas em princípio alguns meses, para conseguir dominar esta técnica, depois de insucessos iniciais. Não é assim tão fácil tornar reais os próprios desejos, mesmo que estes sejam razoáveis.


Campos de aplicação
  • Doenças de longa duração
  • Perturbações crónicas
  • Asma
  • Perturbações neurovegetativas
  • Reeducação a seguir a acidentes, enfartes...
  • Nervosismo
  • Estados depressivos
  • Ansiedade e reacções provocadas pelo stress

1 comentário:

  1. Estou a publicar um breve e antigo artigo sobre Auto-Sugestão e vislumbrei com este belo Blog. Já estou como Seguidor e espero que visite os meus dois que estou recomeçando e também sejas Seguidor. Fraternal Abraço. Néveo. São Paulo-SP/Brasil.

    ResponderEliminar